quinta-feira, 7 de agosto de 2008

MOVIMENTO INCLUSÃO JÁ protesta o transporte púbico em São Paulo

MOVIMENTO INCLUSÃO JÁ protesta, o transporte púbico em São Paulo é muito ruim para as pessoas com deficiência física e mobilidade reduzida senhores governantes e senhores empresários respeitem a constituição .
além dos impostos que nos é cobrado sem dó e sem piedade, nós estamos pagando para provocar a justiça a fim de garantirem os nossos direitos a plena cidadania .


video

3 comentários:

Valdir Timóteo disse...

É ESSE O RESPEITO QUE OS TUCANOS TEM COM AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA.
O NUMERO DE VANS DO ATENDE NÃO AUMENTOU NADA NESTE GOVERNO.

Folha de S. Paulo

Prefeitura diz que medida atende ao regulamento

TRANSPORTE

Serviço Atende restringe viagem eventual de portador de deficiência

ALENCAR IZIDORO - DA REPORTAGEM LOCAL

Bruno do Nascimento Araújo, 17, portador de tetraplegia, perdeu uma série de consultas e exames médicos nas últimas semanas por não ter como se deslocar ao hospital. Ele usa cadeira de rodas e só consegue sair de casa, em Guaianazes, na zona leste de São Paulo, acompanhado da mãe.

Era usuário do Atende, serviço municipal de transporte porta-a-porta com vans adaptadas para portadores de deficiência física, porém foi informado no final de outubro da decisão da prefeitura de não atender mais suas viagens -porque eram eventuais, para consultas e exames médicos que não têm periodicidade fixa.

Há ao menos mais dois usuários do Atende, localizados pela Folha, que eram transportados para compromissos desse tipo, mas que foram cortados pelo governo José Serra (PSDB).

A SPTrans (empresa municipal que cuida do serviço) afirma que eles eram casos isolados e que a exclusão desse atendimento se deve ao próprio regulamento do serviço vigente desde 2001.

“Foram abertas exceções na gestão anterior, por isso eles eram atendidos. Mas isso prejudica os demais, atrapalha a escala de quem é atendido em dias e horários fixos”, diz Moacir Mariano da Costa, gerente-geral do Atende.

Segundo Costa, a racionalização das 266 vans em 2005 fez a quantidade de usuários cadastrados saltar 58%, de 2.860 para 4.530.

Enquanto isso, pessoas como Valdir Timóteo Leite ficam sem alternativa. Paraplégico, ele sofreu uma cirurgia. Ao sair do hospital, recebeu uma carta da SPTrans com a nova orientação.

Só conseguiu fazer seu retorno pós-cirúrgico na AACD graças ao improviso. Obteve numa subprefeitura a disponibilização de uma ambulância. Na semana seguinte, uma perua não-adaptada.

A sobrinha dele Gabriela Cabeço Leite, 7, que anda de cadeira de rodas devido a uma paralisia cerebral, continua sendo atendida semanalmente pelo Atende para fazer a fisioterapia e a terapia ocupacional, mas também teve cortadas suas viagens eventuais (precisa a cada quatro meses ir ao hospital para substituir uma sonda).

O conselho do gerente-geral do Atende para esses casos é a utilização dos ônibus convencionais adaptados para deficientes -são 591, de uma frota total de 15 mil.

http://movimentoinclusaoja.blogspot.com/

Valdir Timóteo disse...

É ESSE O RESPEITO QUE OS TUCANOS TEM COM AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA.
O NUMERO DE VANS DO ATENDE NÃO AUMENTOU NADA NESTE GOVERNO.
O QUE MUITO NOS DEIXA INDIGNADOS É QUE O MINISTÉRIO PÚBLICO DEFENDE ESSE ABSURDO,E A SPTRANS DEITA E ROLA.

Prefeitura diz que medida atende ao regulamento -

segunda-feira, 5 de dezembro de 2005

Folha de S. Paulo

Prefeitura diz que medida atende ao regulamento

TRANSPORTE

Serviço Atende restringe viagem eventual de portador de deficiência

ALENCAR IZIDORO - DA REPORTAGEM LOCAL

Bruno do Nascimento Araújo, 17, portador de tetraplegia, perdeu uma série de consultas e exames médicos nas últimas semanas por não ter como se deslocar ao hospital. Ele usa cadeira de rodas e só consegue sair de casa, em Guaianazes, na zona leste de São Paulo, acompanhado da mãe.

Era usuário do Atende, serviço municipal de transporte porta-a-porta com vans adaptadas para portadores de deficiência física, porém foi informado no final de outubro da decisão da prefeitura de não atender mais suas viagens -porque eram eventuais, para consultas e exames médicos que não têm periodicidade fixa.

Há ao menos mais dois usuários do Atende, localizados pela Folha, que eram transportados para compromissos desse tipo, mas que foram cortados pelo governo José Serra (PSDB).

A SPTrans (empresa municipal que cuida do serviço) afirma que eles eram casos isolados e que a exclusão desse atendimento se deve ao próprio regulamento do serviço vigente desde 2001.

"Foram abertas exceções na gestão anterior, por isso eles eram atendidos. Mas isso prejudica os demais, atrapalha a escala de quem é atendido em dias e horários fixos", diz Moacir Mariano da Costa, gerente-geral do Atende.

Segundo Costa, a racionalização das 266 vans em 2005 fez a quantidade de usuários cadastrados saltar 58%, de 2.860 para 4.530.

Enquanto isso, pessoas como Valdir Timóteo Leite ficam sem alternativa. Paraplégico, ele sofreu uma cirurgia. Ao sair do hospital, recebeu uma carta da SPTrans com a nova orientação.

Só conseguiu fazer seu retorno pós-cirúrgico na AACD graças ao improviso. Obteve numa subprefeitura a disponibilização de uma ambulância. Na semana seguinte, uma perua não-adaptada.

A sobrinha dele Gabriela Cabeço Leite, 7, que anda de cadeira de rodas devido a uma paralisia cerebral, continua sendo atendida semanalmente pelo Atende para fazer a fisioterapia e a terapia ocupacional, mas também teve cortadas suas viagens eventuais (precisa a cada quatro meses ir ao hospital para substituir uma sonda).

O conselho do gerente-geral do Atende para esses casos é a utilização dos ônibus convencionais adaptados para deficientes -são 591, de uma frota total de 15 mil.

Aline disse...

A cultura tem que mudar e nossa "arma" é a democracia. A voz da mudança tem que fazer a diferença para todos.
Força a todos.
Abraços
Aline

Vamos exercer a nossa cidadania e eliminar os maus políticos da vida publica, ESSE PODER É NOSSO

Somos 45 milhões de brasileiros cidadãos e cidadãs com algum tipo de deficiência sem ter nossos direitos respeitados. Quem esta preocupado e trabalhando de verdade por essa população? Até Quando vão continuar nos ignorando? Para que servem as Leis Federais se os próprios governos as desrespeitam? Porque o Decreto 5.296 de 2004 não foi e não é cumprido? Senhores mandatários do poder hoje nós somos os abandonados amanhã pode ser os senhores!!!! Vamos exercer a nossa cidadania e eliminar os maus políticos da vida publica, ESSE PODER É NOSSO

Postagens populares

Movimento Inclusão Já

Loading...